7
Mar/16

Foto: Divulgação

Por Ciclo Vivo

Urbanização, resíduos sólidos, mudanças climáticas, Amazônia, lixo eletrônico, orgânicos, contaminação por químicos e a relação entre Código Florestal e colapso hídrico são alguns dos temas abordados pelos filmes do Circuito Universitário da 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que acontece de 03 de março a 25 de abril em diversas faculdades na cidade de São Paulo.

Ao todo, dez instituições de ensino participam do Circuito em 2016: Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), Faculdade Cásper Líbero, Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Senac, Faculdade de Saúde Pública da USP, Universidade São Judas, Escola de Artes, Ciências e Humanidade (EACH) USP Leste, Universidade Presbiteriana Mackenzie, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O Circuito é também um ‘aquecimento’ para a 5ª Mostra, que acontece de 28 de abril a 08 de maio em salas de cinema da capital paulista. Serão exibidos mais de 90 filmes em sessões gratuitas e também promovidos debates sobre diversos temas.

Filmes que serão exibidos no Circuito:

Trashed: Para Onde Vai o Nosso Lixo? (Trashed: No Place for Waste) | Reino Unido, 2012, 97’ | Direção: Candida Brady | Produção: Candida Brady e Titus Ogilvy | Roteiro: Candida Brady| Fotografia: Sean Bobbitt | Edição: James Coward, Kate Coggins e Jamie Trevill | Sinopse: Trashed: Para Onde Vai o Nosso Lixo? olha para os riscos causados pelo lixo para a cadeira alimentar e o meio ambiente através da poluição do nosso ar, terra e mar. O filme revela fatos surpreendentes sobre os perigos reais e imediatos para a nossa saúde. É uma conversa global, da Islândia à Indonésia, entre o astro de cinema Jeremy Irons e cientistas, políticos e pessoas comuns, cuja saúde e meios de subsistência foram fundamentalmente afetados pela poluição de resíduos.

Amazônia Desconhecida (Unknown Amazon) | Brasil, 2013, 71’ | Direção: Daniel Augusto e Eduardo Rajabally | Roteiro: Daniel Augusto, Luiz Bolognesi e Eduardo Rajabally | Fotografia: Dado Carlín, Mauro Martins, Rodrigo Menck, Maurício Tibiriçá e Carlos Jay Yamashita | Edição: Daniel Augusto, Alessandra Iglesias, Paulo Mattos, Veri Ravizza e Renata Terra | Produção: Fernando Dias, Maurício Souza Dias, Caio Gullane e Fabiano Gullane | Sinopse: Documentário sobre os conflitos da Amazônia brasileira hoje. O filme acompanha o cotidiano de diversos grupos sociais que lutam por seu espaço, como índios, fazendeiros, sem terra, garimpeiros, entre outros. Entrevista cientistas, especialistas e personalidades, com objetivo de mapear qual o perfil atual e as consequências da ocupação humana da Amazônia brasileira.

Favelas: As Cidades do Amanhã (Slums: Cities of Tomorrow) | Canadá, 2013, 81’ | Direção: Jean-Nicolas Orhon | Roteiro: Jean-Nicolas Orhon | Fotografia: Vincent Chimisso | Edição: Hubert Hayaud | Produção: Christine Falco | Sinopse: Hoje, uma em cada seis pessoas vive em uma favela, ocupação ou outra habitação precária. Através de uma perspectiva sociológica e filosófica, o filme observa estruturas construídas em uma escala humana e proporciona um olhar íntimo em seus habitantes. O filme nos leva a uma viagem através dos continentes: a Mumbai, India, onde existe a maior favela da Ásia; a Rabat, Marrocos, no que antes foi uma fértil área agrícola; a uma ocupação em Lakewood, New Jersey; a um bairro de trailers em Marseille, França; e a uma comunidade nativa em Kitcisakik, Quebec.

A Fé nos Orgânicos (In Organic W eTrust) | EUA, 2012, 82’ | Direção: Kip Pastor | Roteiro: Kip Pastor | Fotografia: Todd Banhazl e Jeff Bierman | Edição: Michael Powell e Yoni Reiss | Produção: Kip Pastor e Emma Fletcher | Sinopse: Documentário revelador que mostra o verdadeiro significado de orgânico. Quando as corporações entraram no negócio e orgânico se tornou uma marca, a filosofia e o rótulo se separaram. Mas há esperança para os orgânicos e para nós! O diretor Kip Pastor olha para além do rótulo e desenterra soluções inspiradoras para a nossa saúde e para problemas ambientais. Cidadãos e comunidades estão resolvendo os problemas com suas próprias mãos, e a mudança está vindo do solo para cima.

O Experimento Humano (The Human Experiment) | EUA, 2013, 90’ | Direção: Dana Nachman e Don Hardy | Roteiro: Dana Nachman | Fotografia: Don Hardy | Edição: Don Hardy | Produção: Chelsea Matter, Dana Nachman e Don Hardy | Sinopse: O filme conta histórias de pessoas que acreditam que suas vidas foram afetadas por produtos químicos e leva os espectadores para as linhas de frente como ativistas fazem, cabeça a cabeça, com a poderosa e bem financiada indústria química. Esses ativistas trazem à luz um sistema corrupto que tem sido escondido dos consumidores…até agora. O filme revela a realidade chocante de que milhares de químicos não testados estão em nossos produtos de uso diário, em nossas casas e dentro de nós. Simultaneamente, a predominância de várias doenças continua a aumentar.

Thule Tuvalu (Thule Tuvalu) | Suíça, 2014, 96’) | Direção: Matthias Von Gunten | Roteiro: Matthias Von Gunten | Fotografia: Pierre Mennel | Edição: Caterina Mona e Claudio Cea | Produção: Valentin Greutert e Simon Hesse | Sinopse: Dois lugares em extremos de nosso planeta vêm fazendo as manchetes devido às mudanças climáticas: Thule, na Groenlândia, por seus recordes de degelo; e Tuvalu, porque esta remota ilha-nação no Pacífico é um dos primeiros países em vias de afundar como resultado da elevação do nível do mar. Se para nós o aquecimento global ocorre quase exclusivamente na mídia, ele está mudando toda a existência dos habitantes de Thule e Tuvalu. O filme retrata como eles são forçados a abandonar seu modo de vida tradicional mudando em direção a um futuro desconhecido.

Era Uma Vez Uma Floresta (Once Upon a Forest) | França, 2013, 78’ | Direção: Luc Jacquet | Roteiro: Luc Jacquet | Fotografia: Antoine Marteau e Jérôme Bouvier | Edição: Stéphane Mazalaigue | Produção: Yves Darondeau, Christophe Lioud e Emmanuel Priou | Sinpose: O filme convida seu público para um nunca antes visto mundo de maravilhas naturais e beleza surpreendente. Pela primeira vez seremos capazes de assistir a uma floresta tropical crescendo diante de nossos olhos. O filme nos fornece uma completa imersão sensorial no esplendor primitivo de um dos mais ricos mistérios da natureza, convocando o público a entrar, descobrir e se maravilhar com um universo de tesouros incalculáveis, enquanto une sua voz à crescente consciência da necessidade de preservar nosso mundo.

O Sabor do Desperdício (Taste the waste) | Canadá, 2011, 86’ | Direção: Valentin Thurn | Roteiro: Valentin Thurn | Fotografia: Roland Breitschuh | Edição: Birgit Köster | Produção: Astrid Vandekerkhove e Valentin Thurn | Sinopse: Incrível, mas verdadeiro: no caminho da fazenda para a mesa da sala de jantar, mais da metade dos alimentos vai para o lixo. A maioria antes mesmo de chegar aos consumidores. Por que cada vez maiores quantidades estão sendo destruídas: A agricultura é responsável por mais de um terço dos gases de efeito estufa em todo o mundo, pois requer energia, fertilizantes e terra. Além do mais, sempre que comida apodrece num depósito de lixo, o metano escapa para a atmosfera, um gás com um efeito 25 vezes mais potente que o dióxido de carbono. Em outras palavras, quando perdemos metade de nossa comida, isso tem um impacto desastroso sobre o clima mundial. Um documentário sobre o desperdício de alimentos e o que podemos fazer sobre isso.

A Lei da Água – Novo Código Florestal (The Water Law – New Forest Code) | Brasil, 2014, 78’) | Direção: André D’Elia | Fotografia: Federico Dueñas | Edição: Raoni Reis | Produção: André D’Elia e Fernando Meirelles | Sinopse: O filme esclarece as mudanças promovidas pelo novo Código Florestal e a polêmica sobre sua elaboração e implantação. O documentário mostra como a lei impacta diretamente a floresta e, assim, a água, o ar, a fertilidade do solo, a produção de alimentos e a vida de cada cidadão. Produzida ao longo de 16 meses, a obra baseia-se em pesquisa e 37 entrevistas com ambientalistas, ruralistas, cientistas e agricultores. Retrata ainda casos concretos de degradação ambiental e técnicas agrícolas sustentáveis que podem conciliar os interesses de conservação e produção da sociedade.

A Tragédia do Lixo Eletrônico (The E-Waste Tragedy) | França/Espanha/Reino Unido, 2014, 86’ | Direção: Cosima Dannoritzer | Roteiro: Cosima Dannoritzer | Edição: Dragomir Bajalica | Produção: Joan Ubeda, Fabrice Estève e Christian Popp | Sinopse: Todo ano, mais de 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico – computadores, televisões, celulares, eletrodomésticos – são descartados no mundo desenvolvido. Setenta e cinco por centro desse lixo desaparece do circuito legal de reciclagem, com grande parte sendo jogada fora ilegalmente no Terceiro Mundo, onde destrói paisagens e prejudica vidas. O filme nos leva a uma viagem investigativa pela Europa, China, África e EUA, e revela um comércio global tóxico alimentado pela ganância e corrupção.

Publicado por Moderador edukatu
das Equipes Conhecendo o Edukatu

9 Comentários

6 comentários anteriores
Thumb_sq_default

k2rs

Uool que top da balada

4
7
mais de 4 anos

Thumb_sq_default

IZIDORO

legal

0
2
mais de 4 anos

Thumb_sq_default

vitoria

muito legal

0
1
mais de 4 anos

Filtre por Conteudo!

Post em destaque

O passo-a-passo do consumidor consciente

No Dia do Consumidor, comemorado em 15/03, o Akatu indica roteiro com 6 perguntas que orientam o consumo consciente no cotidiano

Arquivo

2012