15
Mar/17

Para estar bem vestido, você não precisa necessariamente comprar roupas novas. Assim como não precisa ter um carro para se deslocar pela cidade. E que tal montar um armário com materiais escolares de uso coletivo na sala de aula?

Tem muita coisa que você pode deixar de comprar, pois alguém estará disposto a compartilhar com você – a troco de dinheiro ou não. Na era da Economia Colaborativa, o verbo não é mais “possuir”, mas sim “desfrutar”.

A produção e o consumo de produtos têm impactos no meio ambiente e na sociedade, pois usam recursos naturais e energia, geram resíduos e exigem trabalho humano. Por isso, no Dia do Consumidor (15/3), o Instituto Akatu lança a campanha “Quero Compartilhar”, que convida a população a priorizar o consumo de serviços que valorizem o compartilhamento de bens, em vez de sua aquisição.

QUERO COMPARTILHAR EXPERIÊNCIAS, não acumular coisas

A popularização de tecnologias, como celulares e tablets com acesso à internet, aplicativos, serviços de pagamento e redes sociais, possibilitaram o surgimento de vários serviços de compartilhamento. Conheça alguns!

QUERO ME VESTIR BEM, mesmo sem comprar roupa nova

Você costuma dar vida longa às suas roupas? Sempre usa tudo o que compra? Ou várias peças novinhas ficam penduradas durante meses no guarda-roupa? Comprar roupas em excesso é puro desperdício, pois o uso do solo, da água, da energia elétrica e de tratamentos químicos nocivos impactam o meio ambiente. Isso sem contar o trabalho humano em si e os gastos com o transporte. Isso não quer dizer que você precise andar mal vestido. Dá para alugar, compartilhar, doar, trocar ou emprestar roupas e acessórios e ainda assim ficar elegante. Você pode, inclusive, organizar uma feira de trocas em sua escola (veja um guia aqui)! Se conseguir envolver a comunidade, melhor ainda.

QUERO ME LOCOMOVER, mesmo sem ter um carro

Ter um carro pode ser prático, mas tem um custo alto (impostos, combustível, estacionamento, seguro e manutenção), além do forte impacto no meio ambiente e, consequentemente, em nós mesmos. Por isso, quando ele for indispensável, é interessante dividir esses gastos e diluir os impactos negativos. Isso é possível em algumas cidades com os serviços de compartilhamento de carros (ou caronas), o chamado "carsharing", como o PegCar e Vamo Fortaleza. Você ainda pode combinar as caronas com os colegas da escola ou trabalha ou estuda.

As bicicletas também têm sido compartilhadas em diversas cidades brasileiras. Estações de bike da Mobilidade, por exemplo, estão espalhadas em 21 cidades das cinco regiões do país. Quem adere a essa forma de transporte e serviço consegue dois benefícios: não emite gases de efeito estufa, por não usar combustível, e dilui com outros usuários o impacto da produção da bike em si.

QUERO ME HOSPEDAR BEM, mesmo sem ter uma casa na praia ou no campo

Alugar casas ou quartos nunca foi tão fácil! Plataformas online como Airbnb, Couch Surfing e Alugue Temporada facilitaram o encontro entre quem procura um lugar e quem está oferecendo um. Muitos viajantes têm aderido a essas ferramentas! Além disso, esses serviços têm sistemas de reputação dos anunciantes e dos locatários, o que oferece mais segurança.

O bom funcionamento dessas ideias inovadoras valoriza o uso de um bem e não a sua posse. Para que comprar algo que você tem à disposição? Além de economizar recursos naturais, é possível reduzir seus gastos. E você, como pode estimular a economia colaborativa em sua escola?

O Edukatu e o Instituto Akatu não se responsabilizam pelos serviços mencionados acima, que são apenas exemplos de compartilhamento de bens.

Publicado por Moderador edukatu

2 Comentários

Thumb_sq_default

Bruno

MANHÃ-leite com Nescau e pão de milho
ALMOÇO-macarrão com queijo ralado e frango
TARDE-pão com queijo
JANTA-arroz, feijão, carne, e salada

1
1
9 meses

Thumb_sq_globo_edukatu_best

Moderador -

Oi Bruno! Caso sua intenção tenha sido responder a atividade 1 do percurso Comer, Dividir e Brincar, acesse este link: http://bit.ly/2o4zcPL

3
0
9 meses

Filtre por Conteudo!

Post em destaque

O passo-a-passo do consumidor consciente

No Dia do Consumidor, comemorado em 15/03, o Akatu indica roteiro com 6 perguntas que orientam o consumo consciente no cotidiano

Arquivo

2012